//Fiéis recebem Nossa Senhora de Nazaré na chegada do Círio Fluvial e motoqueiros prestam homenagens

Fiéis recebem Nossa Senhora de Nazaré na chegada do Círio Fluvial e motoqueiros prestam homenagens

A aposentada Maria Aparecida Pereira, de 68 anos, escolheu a chegada da Romaria Fluvial à Escadinha da Estação das Docas, na manhã deste sábado (13), para acompanhar o Círio 2018. A opção, segundo ela, se deve ao fato de considerar essa como uma das homenagens mais bonitas depois da procissão principal no domingo. “Há 12 anos, comecei a ficar neste ponto para ver a chegada da imagem da santa, porque aqui me sinto mais próxima a ela, consigo rezar e agradecer pela minha vida”, conta.

Por volta de 11h da manhã, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré desembarcou na Praça Pedro Teixeira, em Belém e, depois de receber homenagens e abençoar os fiéis, seguiu em direção ao Colégio Gentil Bittencourt acompanhada por motociclistas na Moto Romaria, quarta procissão oficial do Círio de Nazaré. Ela saiu do trapiche do Distrito de Icoaraci em romaria fluvial por volta de 9h15, acompanhada de cerca de 500 embarcações.

Na área da Escadinha, a imagem foi recebida com honras de chefe de Estado pelo Grupamento de Cadetes da Polícia Militar do Pará que estavam vestidos com o modelo do primeiro uniforme oficial da Cavalaria da PM, datado de 1818.

A estimativa, segundo a Diretoria da Festa de Nazaré, é de que cerca de 40 mil pessoas participaram do momento da chegada da Padroeira dos Paraenses à Escadinha para o início da Moto Romaria, um aumento de 10% em relação ao ano passado. “A Romaria Fluvial é um momento muito intenso, onde as pessoas que vivem e tiram o sustento do rio podem prestar suas homenagens à Nossa Senhora”, avaliou o integrante da organização do Círio de Nazaré, Beto Souza.

A imagem peregrina, pelo 20º ano consecutivo, foi conduzida no Navio Hidroceanográfico (NHo) “Garnier Sampaio”, onde estavam autoridades civis e militares, como Comandante de Operações Navais, Almirante de Esquadra, Paulo Cezar Kuster, o Comandante do 4º Distrito Naval e o Vice-Almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho, além de membros da diretoria da Festa.

O arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, também constatou um aumento no número de fiéis na chegada da imagem peregrina a área da Escadinha da Estação das Docas. “Esse é um momento que nos surpreende a cada ano pela intensa participação das pessoas”, disse.

Para garantir a organização e a segurança da navegação durante a Romaria Fluvial, a Marinha utilizou seis navios, nove embarcações e duas motoaquáticas. Ao todo, 500 militares trabalharam na procissão deste sábado.

A Moto Romaria surgiu no Círio de 1990 por iniciativa da Federação Paraense de Motociclismo. Ciclistas e pedestres também participam da romaria acompanhando a imagem peregrina, que recebe diversas homenagens durante o percurso de 2,4 km, com duração prevista de meia hora.

Arrastão – Após a saída da Moto Romaria teve início o tradicional Arrastão do Pavulagem, que saiu da área da Escadinha da Estação das Docas rumo à Praça do Carmo. De acordo com o músico Júnior Soares, um dos organizadores do cortejo, o “Arrastão” é um homenagem popular à Nossa Senhora de Nazaré. “É um momento para agradecermos por tudo de bom que aconteceu ao longo desse ano e, também, um momento para pedir por um futuro político agradável”, ressaltou.

Por: Alexandra Cavalcanti

Fotos: Thiago Gomes