//Manto que cobre imagem peregrina de Nossa Senhora é apresentado

Manto que cobre imagem peregrina de Nossa Senhora é apresentado

O manto que vestirá a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré nos eventos e nas 12 romarias oficiais da 226º edição do Círio de Nazaré foi apresentado, na noite desta quinta-feira (11), em Belém. A cerimônia de apresentação foi presidida por Dom Alberto Taveira, na Basílica Santuário. O manto que a Imagem Peregrina usa nas procissões do Círio é um dos símbolos mais aguardados pelos fiéis, pois a roupa é confeccionada exclusivamente para o período da festividade. Paralelo ao lançamento do manto, inúmeros peregrinos, vindos de vários municípios do Pará, principalmente os mais próximos a Belém, chegaram a capital rumo à Casa de Plácido.

O manto da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, deste ano, foi confeccionado pela estilista Khátia Novelino e criado por Celeste Heitmann, inspirado na cena da “Anunciação do Senhor”. Bordado sobre tecido de cetim de seda pura, o manto traz em sua borda, um desenho em estilo barroco, com linha metálica nas cores prata, ouro e ouro velho e roxo.

O bordado do anjo, em cores pastéis, foi feito com linha de seda. O tecido de cetim é inteiramente rebordado em pérolas de arroz, vidrilho irisado e miçanga cristal. Realçando o bordado de sua beirada estão contas de cristais Swarovski e ametistas.

O manto tem quatro peças de metal banhadas em ouro, criadas por Celeste e confeccionadas por Marcelo Monteiro: o Esplendor Divino, o Espírito Santo, o ramo de lírios e a Aliança nova e eterna.

O broche, também em metal banhado a ouro, traz no fundo um pavê de ametista e as mãos que simbolizam as de Maria, a serva do Senhor.

“Foram seis meses de trabalho. Foi uma benção. Como eu poderia imaginar que um dia eu iria fazer o manto de Nossa Senhora”, comentou Kátia Novelino. Ela disse que a confecção foi resultado de uma pesquisa e de dedicação de uma grande equipe de profissionais.

A designer Celeste Heitman comentou que veste os romeiros com camisas e pinturas há 15 anos, mas nunca poderia imaginar que um dia chegaria a criar um dos símbolos dos Círio. “Durante a criação eu tive dois problemas de saúde graves na família e eu tive a graça da cura. Isso eu posso dizer que foi a presença dela”, agradeceu.

“O manto é uma expressão artística da criatividade do nosso povo. Esta homenagem está na alma de cada um de nós. O manto quer refletir o mistério da anunciação, uma luz que vem do alto e envolve o próprio anjo Gabriel e as mãos de Maria”, destacou o arcebispo de Belém.

Por Márcio Flexa
Fotos: Carlos Sodré / Ag. Pará